Inpakt.com

Ser voluntário pela Internet

 Vinte e seis anos e uma enorme vontade de mudar o mundo.

 Cheio de sonhos na cabeça, Bernardo Macedo acorda todas as manhãs com o firme propósito de os tornar mais reais. Quando lhe perguntam a profissão, não hesita em responder: “Sou empreendedor social!” À cara de estranheza com que muitas senhoras dos guichés de informações lhe respondem, costuma acrescentar uma definição própria: “Um empreendedor é um indivíduo que tenta fazer evoluir o mundo que odeia; um Empreendedor Social é um indivíduo que tenta mudar o mundo no sector da responsabilidade social.” Fornecidos os devidos esclarecimentos, Bernardo Macedo fala-nos do seu mais recente projecto, com o brilho nos olhos e o entusiasmo próprio dos inconformistas por natureza.

 Inpakt.com é uma comunidade online que cria uma ponte entre pessoas que estejam interessadas em fazer voluntariado e instituições de solidariedade.  Trata-se de uma rede social virtual, como o Hi5 ou o Facebook, onde qualquer pessoa pode inscrever-se gratuitamente, colocar uma fotografia e falar dos seus principais interesses na área do voluntariado. Para que o gestor da informação possa satisfazer todos os interesses dos inscritos, o voluntário deve ainda indicar a sua área de residência e responder a algumas questões relativas às suas preferências: trabalhar com crianças, idosos ou portadores de deficiência; ser animador, auxiliar no transporte de pessoas ou mercadorias, etc.

 A inscrição no site, segundo Bernardo Macedo, é simples: “Um potencial voluntário cria uma conta no Inpakt.com e pode logo inserir a sua localização geográfica em cartografia digital. Depois de efectuar uma pesquisa na base de dados das instituições inscritas, pode imediatamente seleccionar um raio de acção.” Posteriormente, segue-se o processo de selecção, sendo que, neste projecto, os voluntários inscritos não são imediatamente contactados pelas instituições: “Para não violar a privacidade das pessoas, serão apenas contactadas aquelas que pedirem para realizar uma acção de voluntariado numa determinada instituição de solidariedade”, acrescenta o empreendedor social. Assim, o processo de escolha terá sempre que partir do voluntário que se inscreve, e nunca da instituição. A garantia de confidencialidade é dada pelo criador do projecto.

 Até ao momento, a plataforma conta já com 3500 potenciais voluntários e 20 instituições inscritas. O começo parece auspicioso, mas Bernardo Macedo tem outras ambições: “Quero mais, muitas mais instituições registadas. Gostava de conseguir as 250.000 instituições em Portugal. Sei que se encontram sozinhas, sem apoio de ninguém e sem capacidade para publicitar o seu trabalho.” A ideia parece-nos original e a questão impõe-se: como surgiu este projecto? Há cerca de três anos, Bernardo Macedo trabalhava numa empresa de marketing e comunicação, explorando os processos de criação de comunidades online. Num fim-de-semana em que nada tinha para fazer, decidiu inscrever-se numa acção de voluntariado mas, para seu espanto, nunca chegou a ser contactado. Voltou a ligar para a instituição, para perguntar se precisavam de voluntários, e respondam-lhe que sim: “Então pensei que alguma coisa não estava a funcionar bem – era a ponte entre mim, como potencial voluntário, e a instituição.”

O clique constituiu o ponto de partida para Bernardo Macedo colocar “mãos à obra”. Naquele momento, afirma ter percebido que era importante tapar as lacunas da selecção de voluntários. A plataforma começou a desenvolver-se e a ocupar muito do seu tempo livre, pelo que decidiu sair da empresa onde trabalhava e dedicar-se a tempo inteiro ao novo desafio: “Depois de ler muitos livros de programação, aprender a programar e a desenhar bases de dados, a criar páginas de Internet dinâmicas e de me registar em redes sociais online para visualizar a sua forma de funcionamento genérico, lancei oficialmente o Inpakt.com em fase de testes, no dia 21 de Março de 2009.”

 Satisfeito com os resultados obtidos, Bernardo Macedo não cruza os braços e tem já novos projectos para a plataforma. Segundo afirma, “a procura de apoios para este tipo de projectos em Portugal é ainda uma situação complexa ou pouco provável de acontecer em tempo útil e, como tenho em vista fazer com que o Inpakt.com seja auto-suficiente, estou também a desenvolver uma plataforma de anúncios online em parceria com uma empresa portuguesa de pagamentos, para que parte das receitas publicitárias revertam mensal ou anualmente para as instituições registadas no inpakt.com.”

 Para o criador deste projecto, a sua grande mais-valia é a mesma de qualquer rede social: a troca de informação com pessoas que partilham um interesse genérico. Para além disso, a abrangência de contactos que se consegue atingir usando meios de comunicação informáticos é muito maior: “As mais-valias são o que nós somos como humanos: não conseguimos viver sozinhos e temos aprendido uns com os outros desde há milénios. As redes sociais contribuem para essa partilha de conhecimento.” E, na sua opinião, as redes sociais online não fogem à regra: “A única diferença é que os contactos físicos foram substituídos por contactos virtuais, à distância de um clique.” Será este o futuro do voluntariado? Não sabemos. Para já parece a solução indicada para todos aqueles que sempre pretenderam ajudar quem precisa, mas nunca souberam qual a melhor forma.

Ana Catarina Pereira

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now