Luís de Matos

A tecnologia ao serviço de pessoas com mobilidade reduzida

 Luís de Matos tem 27 anos e é licenciado em Engenharia Informática. Em cadeira de rodas, vive a vida de uma forma diferente da maioria das pessoas: com uma energia contagiante, um espírito activo e uma vocação empreendedora. No projecto de final de curso que desenvolveu na Universidade da Beira Interior criou um sistema robotizado a que chamou wi-GO. Com uma vasta lista de prémios e distinções já somados ao seu curriculum, promete melhorar a vida de pessoas que, apesar de terem mobilidade reduzida, gostariam de poder realizar actos tão aparentemente simples como ir às compras ao supermercado, com mais autonomia.

 

 Para Luís de Matos, o segredo do sucesso do wi-GO está no facto de ter sido construído por alguém como ele: “Eu conheço as minhas necessidades, e as de outras pessoas que se encontram na mesma situação que eu, por isso foi fácil ter esta ideia e desenvolver o protótipo”, afirma. Como todos aqueles que não têm dificuldades motoras, Luís gostava de ser totalmente independente e de ter acesso aos mesmos bens e serviços a que, no dia-a-dia, nos habituámos a recorrer – levantar dinheiro no multibanco, circular de um ponto ao outro sem ter que levar carro, ou mesmo ir ao hipermercado sem necessitar de companhia. Ainda assim, muitas vezes, os multibancos estão demasiado altos, os passeios encontram-se bloqueados por veículos mal estacionados e os carros de supermercado revelam-se difíceis de manobrar. Mas Luís não cruza os braços perante as adversidades com que se vai deparando, nem deixa de sair à rua porque esta não está adaptada à sua cadeira de rodas. Luís protesta, pede livros de reclamações e, sobretudo, encontra soluções para os problemas.

 E foi para responder a um destes problemas que, num dia inspirado, Luís de Matos decidiu criar um carro de compras adaptado a pessoas com mobilidade reduzida. O sistema robotizado que desenvolveu, baseado na tecnologia do sensor Kinect, da Microsoft, permite à pessoa com deficiência, à grávida ou ao idoso, transportar objectos sem dificuldade, de forma confortável e em segurança. No seu caso particular, o sistema encontra-se ligado à cadeira de rodas, através desta tecnologia sem fios, identificando todos os seus movimentos e seguindo-a para onde quer que ela se dirija.

 É uma ideia (aparentemente) simples, mas que tem chamado a atenção dos vários júris de concursos onde tem sido demonstrada. Se não, vejamos: Luís de Matos ganhou o primeiro lugar no concurso de empreendedorismo Winubi, promovido pela Universidade da Beira Interior, em Janeiro de 2011, o que lhe permitiu melhorar o protótipo que agora está prestes a comercializar. Nove meses depois recebeu uma menção honrosa na ISCTE-IUL MIT Portugal Venture Competition 2011 e, em Novembro desse ano, venceu o concurso Do Something, promovido pela Tese (associação para o desenvolvimento) e pela Fundação EDP, na categoria de melhor uso da tecnologia. Sem muito tempo para festejar, uns dias depois, Luís participou no Sapo Codebits (um dos mais reconhecidos eventos dedicados à área da Programação em Portugal). Em 2012 foi ainda vencedor do concurso Arrisca C, em Coimbra, arrecadando o prémio para melhor plano de negócios em competição. Em Julho desse ano representou Portugal na Final Mundial da Imagine Cup 2012, as Olimpíadas de Software promovidas pela Microsoft, depois de ter sido vencedor a nível nacional. Em Sydney, na Austrália, alcançou o terceiro lugar na categoria de Design de Software.

 Já este ano, foi finalista do Imagine Cup Grants, no âmbito da iniciativa Microsoft’s YouthSpark, e foi o vencedor do Prémio Internacional da Fundação Altran para a Inovação. A conquista foi dupla, uma vez que o projecto conseguiu convencer não só o júri internacional, como recolheu ainda o maior número de votos na campanha “Innovation Maker Awards”, que decorreu no Facebook. Conquistou igualmente o primeiro lugar no StartmeUP - Prémio Nacional de Empreendedorismo, na competição promovida pelo Clube de Empreendedores da Universidade Nova de Lisboa - NOVA Entrepreneurship Society (NES) - e apoiada pela Embaixada dos Estados Unidos em Portugal.

 Para Luís de Matos, todas estas distinções têm sido importantes, não só pelo reconhecimento do seu esforço, mas também por lhe identificarem potencial em termos empresariais: “Toda a gente pode ter boas ideias… Mas se essas ideias não são comercializáveis e não dão dinheiro, acabam por ficar na gaveta. Estes prémios deram-me a oportunidade de constituir a nossa empresa, a IS2you, e de reunir com potenciais investidores”, afirma. Tendo começado por trabalhar em equipa com cinco colegas, Luís tem agora boas perspectivas de futuro, por todos os contactos que tem vindo a desenvolver nos últimos meses e pelo interesse, sobretudo a nível internacional, que o wi-GO tem despertado. Hoje em dia, a sua empresa já contratou 16 funcionários e encontra-se instalada no Parkurbis da Covilhã.

 O projecto, que promove a mobilidade e a autonomia de muitas pessoas, integrando-as na sociedade e garantindo a melhoria da sua qualidade de vida, vem assim sublinhar as palavras de Radabaugh que Luís de Matos gosta de citar: “Para as pessoas sem deficiência, a tecnologia torna as coisas fáceis. Para as pessoas com deficiência, a tecnologia torna as coisas possíveis.”

 

Site a consultar: http://www.is2you.eu/

Página de facebook: https://www.facebook.com/wigoproject

Ana Catarina Pereira

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now