Festa do Vinho da Madeira

 Foram quase trinta dias de muita festa. A ilha da Madeira esteve ao rubro, num Verão animado, com cor, tradição, vinho e muito folclore.

 Logo no dia 14 de Agosto, foi inaugurada a exposição “Arte com Vinho da Madeira”, no Centro de Artes Casa das Mudas, na Calheta. Recorrendo ao espólio do ano anterior, foram apresentados diversos barris de vinho elaborados pelos artistas participantes da última edição.

 Em seguida, os dias entre 31 de Agosto e 4 de Setembro marcaram a VI Semana Europeia de Folclore, no Auditório do Jardim Municipal do Funchal. Vários grupos folclóricos nacionais e internacionais mostraram a sua arte e tradições, em cinco noites agitadas e coloridas pelos seus trajes mais típicos.

 E porque de letras também foi feita esta festa, o lançamento do livro “Contos com Vinho da Madeira” marcou o dia 3 de Setembro. Depois, entre os dias 3 e 6, os madeirenses e turistas que visitavam a ilha puderam assistir a uma das mais interessantes tradições da Madeira. Durante os quatro dias de festa, o centro do Funchal foi palco de diversas exposições etnográficas e espectáculos, com actuações de bandas filarmónicas e grupos folclóricos. Desde o fim da tarde até aproximadamente à meia-noite, estiveram patentes várias exposições etnográficas e mesmo alguns quadros vivos de animação com artistas regionais.

 João Egídio Rodrigues apresentou “Decoração Floral” enquanto Maria Isabel Borges de Castro se preferiu dedicar ao tema “Doce, meu doce”. Dina Pimenta Ferreira dissertou sobre o tema “O Vinho Madeira, das Distintas Castas ao Néctar”. Por sua vez, a Associação de Animação Geringonça falou sobre “O Vinho da Madeira no Mundo” e José Manuel Freitas apresentou “Pátio das Vindimas”.

 Procurando reconstruir os hábitos da população desde o seu povoamento, a Festa do Vinho recriou ainda um conjunto de espectáculos memoráveis para quem assistiu. No dia 5 de Setembro, a freguesia do Estreito de Câmara de Lobos realizou a apanha e pisa da uva, ao vivo. Os turistas deixaram-se contagiar e colaboraram em todas as tarefas. No mesmo dia, o cortejo etnográfico alusivo à vinha e às vindimas percorreu as principais ruas da aldeia, ao som de muita música e ao sabor dos melhores pratos de gastronomia regional. O itinerário escolhido foi da Rua António Vitorino Castro Jorge à Praça do Mercado.

 Entre os dias 3 e 10 de Setembro, também integrada no programa do certame, a exposição “Na rota do Vinho Madeira” esteve patente no espaço Infoarte da SRTT. Dias de cor, luz, som e tradição, na Pérola do Atlântico.

Ana Catarina Pereira

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now